A IGEC no  Logo Twitter e Logo YouTube
 

Seminário «Inspeções inovadoras para valorizar escolas inovadoras» (2012)

A IGEC organizou no Porto, nos dias 13 e 14 de setembro, o workshop Inspeções inovadoras para valorizar escolas inovadoras (Innovating inspections to value innovative schools). Este seminário, realizado no âmbito da SICI - Conferência Permanente das Inspeções Regionais e Gerais de Educação, é o último de três nos quais se abordou o tema da inovação a partir de diferentes perspetivas. O primeiro - How is the progress of schools supported by external and internal evaluation? - realizou-se em março, em Tallin (Estónia), e o segundo - Raising standards through innovative inspection - ocorreu em junho, em Londres.

Abriram os trabalhos o subinspetor-geral da Educação e Ciência, Agostinho Santa, e o presidente da SICI, Graham Donaldson. A primeira intervenção ficou a cargo de António Dias de Figueiredo, professor jubilado da Universidade de Coimbra, que se referiu ao sistema educativo como um ecossistema, onde qualquer mudança tem implicações no seu equilíbrio. Segundo ele, a Inspeção pode contribuir para a inovação das escolas, seja tolerando, incentivando ou até mesmo criando matrizes para a sua inovação. A inovação poderá ser incremental - construindo-se a partir de uma estrutura já pensada e que, por essa razão, pode não se consubstanciar numa real mudança - ou disruptiva - tendo a sua origem numa necessidade que ainda não foi suprida por inexistência de soluções. A rutura com a tradição tem sempre um impacto acrescido, uma vez que implica o repensar dos objetivos e paradigmas da escola.

Por sua vez, no primeiro painel do dia 13, Abordagens à inovação por parte das Inspeções Escolares, Ingrid Ocket e Frans De Bie, da Inspeção da Comunidade Flamenga da Bélgica, sublinharam a estreita ligação entre a qualidade do ensino e a responsabilização das escolas, descrevendo o processo de avaliação da qualidade através do modelo CIPO (Context, Input, Process and Output). Este processo - que não recorre ao sistema de rankings para classificação das escolas - desenrola-se em 3 fases: 

  • o inquérito preliminar abrangente para aferir da situação atual da escola;
  • a auditoria - estudo de caso profundo e diferenciado utilizando o diálogo com os atores escolares, a observação da escola e a análise documental; 
  • e o relatório da inspeção - incidindo nas condições de qualidade, nos resultados dos inquéritos e nos pontos fortes e fracos da escola, e que culmina na publicação do mesmo num site público.

Em seguida, Jurgita Maslauskaite referiu-se aos objetivos e funções da Agência Nacional de Avaliação Escolar da Lituânia, realçando a importância da partilha de boas práticas divulgadas nos relatórios de avaliação externa. Além de entender esta partilha como um contributo central para o aumento do sucesso das escolas, sublinhou a importância da harmonia entre a avaliação interna e externa das escolas. A promoção dessa harmonia traduz-se num sistema unificado de indicadores, bem como na inclusão da avaliação externa nos relatórios da avaliação interna.

Ainda no mesmo painel, Franck Livin descreveu o processo de avaliação das escolas levado a cabo pela Inspeção de Educação da Região de Valónia (Comunidade Francófona) e traçou as linhas gerais da missão da Inspeção, da metodologia utilizada no processo de avaliação, e do método de elaboração do relatório da inspeção - assente nas seguintes condições-chave:

  • o respeito pelo currículo;
  • a adequação entre as atividades de aprendizagem e as competências;
  • a avaliação das competências;
  • e, por último, a avaliação das consequências e o seu impacto nas escolas apreciadas.

Encerrou o painel Ivan Panayotov, inspetor-chefe da Inspeção Regional de Educação de Haskovo, da Bulgária, que aproveitou a sua comunicação para transmitir as prioridades do Ministério da Educação e Ciência do seu país. Em seguida, identificou as funções das inspeções regionais de educação e apresentou o projeto do Instituto Nacional para a Educação e Qualificação, que promove abordagens e práticas inovadoras de gestão. Foram também realçados dois projetos inovadores resultantes de participações conjuntas de inspeções regionais e de escolas em projetos educacionais europeus: o primeiro, desenvolvido em parceria com a Roménia, procura desenvolver o intercâmbio de boas práticas, visando oferecer uma educação de qualidade aos alunos das escolas primárias; o segundo, em parceria com a Finlândia, procura aumentar a qualidade da educação cívica dos participantes através do uso de novas abordagens no ensino desta temática e da partilha de boas práticas.

No segundo painel do dia, Michel Pérez, Inspetor-Geral de Educação de França, defendeu o uso eficaz das novas tecnologias da informação (TIC) em contexto de ensino-aprendizagem, apresentando um método de avaliação das TIC utilizado por inspeções de vários países. Esse método procura aferir o uso adequado dos equipamentos que suportam as TIC, bem como apoiar a atividade dos professores inovadores, de modo a promover a otimização dos dispositivos digitais na atividade docente e melhorar o processo de aprendizagem dos alunos.

Por sua vez, Stephen McShane, do Ofsted, descreveu as recentes mudanças ocorridas no sistema inspetivo inglês que deram origem, em outubro de 2011, à constituição do grupo de trabalho Challenge and Analysis Team. Esta nova equipa:

  • avalia as estruturas da inspeção e o modo como é conduzido o processo inspetivo; 
  • informa o inspetor-geral sobre as políticas educativas em curso nas escolas, identificando os casos de boas práticas; 
  • realiza estudos de caso, utilizando novas técnicas de investigação através do contacto direto com as escolas; 
  • gere o quadro de avaliações da inspeção;
  • e analisa o trabalho internacional do Ofsted.

Por último, Aileen Monaghan traçou o retrato institucional da Education Scotland - herdeira das funções desempenhadas pela Her Majesty's Inspectorate of Education (HMIE) e pela Learning and Teaching Scotland (LTS) - apresentando a  missão, os objetivos estratégicos e as principais áreas de trabalho, e abordando um conjunto de questões relativas à cultura de criatividade assente na colaboração entre as escolas e a Inspeção.

No segundo dia decorreram duas visitas de trabalho que permitiram conhecer projetos inovadores de integração e promoção do sucesso escolar. A primeira ao Agrupamento de Escolas Campo Aberto - Beiriz, na Póvoa de Varzim, e a segunda ao Agrupamento de Escolas de Nogueira, em Braga. Na primeira foi apresentado o Projeto Fenix - Mais Sucesso Escolar, que procura combater o abandono escolar na região, e que assenta nos princípios do sucesso plural, da homogeneidade relativa e da flexibilidade. Através dele os alunos são agregados por grupos de aprendizagem, reorganizando as turmas em grupos de trabalho temporários e flexíveis de acordo com o nível de conhecimentos adquiridos. Na segunda visita foi apresentado um projeto de integração de minorias étnicas, designadamente de etnia cigana, visando combater o abandono e promover o sucesso escolar, no âmbito do qual se estabeleceram protocolos com várias entidades de intervenção social e educacional da zona.

A sessão de encerramento esteve a cargo de Álvaro Almeida dos Santos, diretor de escola e ex-presidente do Conselho Nacional de Escolas, que revelou os estudos do PISA (Programme for International Student Assessment) da OCDE que demonstraram uma melhoria considerável nos resultados dos alunos portugueses entre 2000 e 2009, questionando quanta dessa melhoria pode ser atribuída à introdução e ao desenvolvimento da avaliação externa das escolas. O ex-presidente do Conselho Nacional de Escolas sublinhou ainda a importância de encarar a Inspeção como um parceiro das escolas no caminho da melhoria da qualidade das aprendizagens, estabelecendo as prioridades que definirão o sucesso do futuro da educação em Portugal.

/imgs/Eventos_Internacionais/SICI_Porto_2012_1.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto de grupo

/imgs/Eventos_Internacionais/SICI_Porto_2012_2.jpg

Sessão de abertura 

/imgs/Eventos_Internacionais/SICI_Porto_2012_3.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sessão de trabalho
Programa 107 KB Download PDF
Sessão de Abertura 103 KB Download PDF
António Dias Figueiredo - Innovation Quality and the School Ecosystem 2078 KB Download PPSX
Pedro Bacelar de Vasconcelos - Ignorance, Curiosity and Social Change 34 KB Download PDF
Ingrid Ocket & Frans De Bie - How the Flemish Inspectorate Stimulates Innovative Schools 752 KB Download PPSX
Jurgita Maslauskaite - We Create a Successful School Together 342 KB Download PPSX
Franck Livin - Inspection Reports Wallonia-Brussels Federation... 294 KB Download PPSX
Ivan Panayatov - How Regional_Inspectorates of Education in Bulgaria... 2355 KB Download PPSX
Michel Perez - How to Assess the Effectiveness of ICT Use in Schools and Classrooms 2070 KB Download PPS
Stephen McShane - Developing Insight and Internal Challenge 6806 KB Download PPS
Aileen Monaghan - Looking at Transformational Change in Learning... (Escócia 1) 6736 KB Download PPSX
Evaluation Accountability and Improvement in Scottish Education (Escócia 2) 171 KB Download PDF
Grupo de Discussão 137 KB Download PDF
Agrupamento de Escolas de Nogueira (Braga) - 1 491 KB Download PPSX
Agrupamento de Escolas de Nogueira (Braga) - 2 22094 KB Download PPSX
Agrupamento Campo Aberto (Beiriz) 909 KB Download PPSX
Álvaro Almeida dos Santos - Can Inspection Enhance School Improvement? 1694 KB Download PDF
Sessão de Encerramento 87 KB Download PDF
Inspeção Regional da Madeira 37 KB Download PDF
Inspeção Regional dos Açores 151 KB Download PDF
Biografias dos Oradores 65 KB Download PDF
Participantes 80 KB Download PDF